Alfredo Volpi

Lucca, Itália, 1896 – São Paulo, SP, 1988


Um dos artistas modernos brasileiros com o legado mais consagrado e complexo, Alfredo Volpi começou sua carreira pintando paisagens, marinhas e personagens que, ao longo dos anos, foram se transformando em composições estilizadas e geometrizadas presentes no imaginário nacional e internacional até hoje. Volpi nunca se filiou a escolas, apesar de ter tido influências do movimento concretista – sua trajetória, porém, era individual e chegava ao limiar da abstração. Seus quadros mais conhecidos, as “fachadas”, são desta época, que começa nos anos 40.


Sua primeira pintura de cavalete data de 1914, mas foi na década de 1930, quando começa a participar do Grupo Santa Helena*, que desponta no cenário artístico paulistano. As obras de Volpi se caracterizam pela mescla entre cultura popular e arte erudita, pela criação de um vocabulário formal geométrico, e pelas cores iluminadas - preparadas artesanalmente pelo artista. A prática artesanal era, para Volpi, uma resistência à automatização e impessoalidade ao mesmo tempo em que afirmava sua trajetória original e isolada. Os principais temas representados nas suas obras eram bandeiras, fachadas e mastros, que eram mesclados por efeitos cinéticos e óticos.

Alfredo Volpi_Cinéticos,Mosaico.jpg1Alfredo Volpi_Elementos Geométricos_1970.jpAlfredo Volpi_Fachada.jpg
Alfredo Volpi_Cinéticos,Mosaico.jpg

Cinéticos/Mosaicos

Têmpera sobre tela

68 x 136 cm

Década de 70

Coleção particular