Cildo Meireles

Rio de Janeiro, RJ, 1948


A complexa obra de Cildo Meireles pode ser atrelada às pesquisas sensoriais de Hélio Oticica (1937-198080) e Lygia Clark (1920-1988) da década de 60, centradas principalmente na relação entre a obra e o corpo do espectador. A carreira de Cildo for permeada por duas grandes denúncias: o circuito artístico limitado e neutralizado pela sociedade e o capitalismo. A filosofia e a política são constantes na sua obra e caminham de mãos dadas à estética e originalidade.


Trabalho pioneiro na arte da instalação, Cildo Meireles é interessado em diminuir o intervalo que separa a arte da vida, construindo obras a partir de elementos triviais ou de caráter ambíguo. No Inhotim, Cildo tem uma galeria dedicada exclusivamente à sua obra, com trabalhos icônicos como Desvio para o vermelho, espaço construído somente por objetos vermelhos, e Através, instalação formada por objetos cortantes e violentos.

In-mensa

In-mensa

Madeira

100x185x115cm

1982