Raymundo Colares

Grão Mogol, MG, 1944 - Montes Claros, MG, 1986


Colares se apropria da geometrização concreta e a mistura com referências de histórias em quadrinhos e a confusão da urbanização. Com uma carreira de sucesso nas décadas de 1970 e 1980, o artista fazia um elo entre a arte construtiva, moderna, pop art e arte experimental. As suas telas tinham ritmos visuais próprios, expressavam movimento e estabelecera, com o tempo, um motivo principal: o ônibus. Esse mesmo elemento que o torna um reconhecido artista, o leva ao fim da sua vida, quando é atropelado por um deles.

Sem título

Sem título

Recortes de papel

1 x 45 x 45 cm

s.d.