Sandra Cinto

Santo André, SP, 1968


Os delicados desenhos de grandes dimensões de Sandra Cinto são sempre acompanhados de elementos esculturais para criar ambientes imersivos. As paisagens oníricas da artista são por vezes desenhadas na parede e complementadas por quadros cobertos por refinados desenhos prateados, feitos com caneta esferográfica.


A artista apropria-se frequentemente de fotografias, que são associadas a outros objetos, como esculturas de madeira que simulam livros ou camas. Esses suportes são pontos de encontro de várias narrativas, nunca concluídas, que existem entre o sonho e a realidade.

Sem título

Sem título

Caneta permanente e acrílica sobre papel

70 x 91 cm

1999