Sérgio Camargo

Rio de Janeiro, RJ, 1930 – 1990


Um dos mais importantes escultores brasileiros contemporâneos a explorar a riqueza do legado da arte construtiva, Sérgio Camargo não se filiou a grupos ou movimentos. Iniciou seus estudos em arte na Academia Altamira, em Buenos Aires, interessando-se especialmente pelo construtivismo argentino. No final da década de 1940, mudou-se para Paris e frequentou o ateliê do escultor romeno Brancusi (1876-1957).


Na década de 1963 inicia a produção das esculturas brancas em madeira pintada, com as quais irá se ocupar por dez anos. Nessas obras, convivem em harmonia o racionalismo matemático e a causalidade orgânica. O mármore torna-se matéria principal de Sérgio Carvalho a partir da década de 1970 – a superfície polida do material propicia um reflexo mais efetivo dos raios de luz, intensificando o dinamismo da obra. Nessa mesma década, passou a frequentar um grupo de artistas que também faziam parte Waltercio Caldas (1946), Iole de Freitas (1945), Tunga (1952), José Resende (1945), entre outros, do qual participou até o fim de sua vida.